sexta-feira, 21 de abril de 2006

Voltando ao passado mais uma da minha expo(repedito) mas q volta a falar sobre algumas coisas q estive pensando


Salve me.


 


(Um dos últimos desenhos.).


Amor, paixão... Que besteira.


Falam tanto disso. Essas duas palavras


Já não fazem mais sentidos,


Pelo menos, não o que eu busco.


Porque já foram muito corrompidas.


A Libélula e o Cisne, minhas duas razões de viver,


Que no entanto só me deram dor e morte.


A libélula,


O Começo do Amor Mais Interno que Libertou minha Alma,


E que há muito já perfurou meu coração


Deu-me um presente, junto com a ferida que ela me fez,


Ela me deu a cura: os desenhos.


A ferida cicatrizou, mas eu achei que precisava de mais.


E pra minha tristeza, eu perdi o meu remédio.


Parei de desenhar.


Mas o Cisne me trouxe muitas caixas dessa “droga”,


E meu remédio voltou a me dominar.


O Cisne,


A Sabedoria Amadurecida em Mil vezes do Amor,


No Topo da minha Alma,


Fez algo mais que a Libélula.


Alem de perfurar meu coração, ele também rasgou minha alma,


E dela, começaram a sair pensamentos,


Que se transformaram em letras, e depois em palavras...


E por ultimo em versos de solidão.


O Cisne me deu este presente, pois junto com a dor na minha alma,


Ele me deu, um novo remédio que ameniza as duas feridas.


A do meu coração e a da minha alma.


Agora desenhar já não adiantava, pois esta “droga”,


Já era comum em mim.


Por isso surgiram as palavras nos meus desenhos.


Agora só as palavras me libertam o único jeito de me salvar.

domingo, 16 de abril de 2006

o amanhã talvez...


estou do seu lado...


 


 


A sua dor é a minha dor


A sua lagrima é minha lagrima


Não te ter é uma triste verdade


Não estar ao seu lado é um  pesadelo


 


Sempre que quero limpar suas lagrimas


Não me é possível.


Te ofereço a felicidade,


Mas você se nega a ser feliz...


Eu quero e preciso de você


E você precisa de mim.


Pois comigo seu choro vai ser de alegria


Sua melancolia vai perder o sentido


Pois você vai ter achado o que procurava sem saber.

terça-feira, 11 de abril de 2006

mas cade as soluções??


 


 


Bom sem poemas... mas to aqui de novo...


Escrever...


Uma forma simples de desabafo...


Pretendo aqui liberar e organizar minhas idéias


Sobre Mim, e o que eu penso ultimamente...


 


Estou cansado...


Sinto que falta alguma coisa a minha volta... não sei o q todavia.


É ter tudo e não ter nada.


Ver e não ver....


Sentir e não sentir....


Estou começando a desconfiar seriamente dos meus sentidos...


Muitas vezes... abraço alguém... beijo ou converso é nesses momentos que tudo parece totalmente vazio e in-real. Meus sentidos se mostram fracos... é como viver em um sonho...


Estou triste....


Tenho tantos amigos hoje, quanto jamais tive... saudades dos meus melhores amigos que agora estão longe... a aceitação te amigos novos... e carinho que recebo... são as únicas coisas que me sustentam... talvez...


Fora isso... fico perdido em meio a esse mundo... desiludido com alguns atos, feliz com outros... as vezes quero apenas ficar sozinho e me isolar... por sorte meus colegas e amigos não me deixam fazer isso... é bom saber que se é querido, de alguma forma... mesmo que seja a mais fútil. Pra enganar o coração e a alma.


Estou enlouquecendo....


Não paro de pensar um minuto... me indagando sobre todas as coisas.. as pessoas... os costumes... os acasos e/ou destinos... caminhos da vida, o que existe e o que não existe... o que eu sinto e o q não sinto. O que eu acho e o que é de fato... tudo isso... todo o tempo perambulando pela minha cabeça... que não quer parar... começo a criar estórias... de coisas, pessoas, faço hipóteses inúteis para o nada....


Quando não é isso... fico pensando no que eu gostaria de dizer para as pessoas que eu gosto... e que no momento estou com algum problema... penso em dizer a elas o que me incomoda, o que me agrada... fico pensando como eu diria isso... mas não digo... me falta a chance...


Estou confuso...


Estou interessado por algunas pessoas... mas não sei como nem pq... nem como evitar, nem se é possível conseguir algo... meu coração é um cego perdido na escura floresta, não sei o que quero... não se quero... não sei porem... tirar essas idéias da minha cabeça... penso em esquecer tudo... não consigo... duvidas e mais duvidas... voltam a martelar minha cabeça... sempre.... não tenho soluções... só tenho indagações.


Estou cansado...


Não quero continuar assim... não sei porém como acabar com isso...


Sou vitima de mim mesmo...

  Só quero ajuda...