quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Este é o ultimo texto do ano... bom 2008 a todos e a mim também..


É com tristeza que, acredito, fecharei esse ano... a poucas semanas dele não vejo nem luz, nem destino... nem acho que valeu a pena tudo que eu tenha feito até aqui...

É com tristeza que sei que não escreverei mas nada bom o bastante pelos dias que se seguem, e por isso sei... este é o ultimo texto do ano... fora ele... acredito que o meu projeto será minha próxima postagem, se conseguir até o fim desse ano... se não... aos primeiros meses de 2008 ...

A todos os meus amigos e a todos que amo ou um dia amei... agradeço...

A cada dia vencido, recheado de saudades, vitórias e derrotas eu agradeço...

A cada lagrima que não conseguiu rolar... peço desculpas...

A todos aqueles que fiz sofrer... peço desculpas...

Agradeço por aqueles que fiz feliz em algum momento... já que eles não o fizeram...

E peço desculpas a mim mesmo, por tudo que fiz de mim...

 

Ir até o fundo... e escapar.

O que é estar perdido, sozinho, descrente de qualquer objetivo?

O que é estar em volto em escuridão?

Caminhar e caminhar, sabendo que o caminho leva apenas a uma triste jornada... sem consolos, poucas alegrias...

Caminhar, sabendo que nada, nunca, vai ser perfeito.... viver a cada dia sem saber que segue um caminho que valerá alguma coisa...

E mesmo que tentasse se esconder em realidades que mais gosta, sabe que elas não serão perfeitas e sempre vão chegar ao fim.

Ó  maldita certeza, preferiria a fé ao em vez  de sofrer por não ter  nada a acreditar.

 

 E se todos que mais amou virassem as costas... ou tivessem coisas mais importantes a fazer do que dirigir o mínimo de atenção a você?

E se nenhum dos seus esforços tivesse servido para seu próprio bem, e sim, somente para o bem alheio... e se todos seus sentimentos, melhores desejos, afeto, carinho dedicação só tivesse valor se não existissem mais?

E mesmo assim você saberá! Sim saberá!

Ninguém de fato precisa deles, ninguém nunca sentirá falta daquilo que caiu em seus braços sem ao menos ser pedido... tão fácil de conseguir... e de tão pouco valor a tantos outros que foi oferecido, por que agora, valeria algo mais?

 

De repente nem mesmo a morte seja tão salvadora como pensas!

Quem lhe garante?

O futuro incerto está presente em cada minuto da sua vida, assim como esses minutos te levam pra  a incertezas da morte....

E a salvação que deseja, ser livre de todas essas obrigações e convenções que deseja... ela existira de fato? Se nem ao menos perto das pessoas que mais gosta consegue ser totalmente feliz... nem mesmo aquela melhor gargalhada consegue vencer a certeza do vazio que vem quando ela acaba... como poderá se contentar de algum modo? De algum jeito? Em algum lugar?

 

Por provações difíceis teve que passar durante esse ano... enfrentou a dor de se convencer que em nada existe um sentido, quebrou diversos conceitos que tinha fragilmente elegido... testou a morte... e não pode constatar  o que de fato afligiu a todos... nunca saberá.... nem eles sabem....

Lutou a cada dia... e por fim foi vencido pelo sistema e se entrou pelo seu corpo... não havia sentido em continuar... e todas suas metas eram frágeis e tinham menos valor ainda do que pensara....

 

E chegar ao fundo é possível?  Até que se mostre o contrario você ainda terá anos a percorrer com suas incertezas, e irá se impor a cumprir tarefas para passar o tempo e não deixar tudo que pensou tudo que acreditou ser importante se perder...

 

E será possível escapar? Há um grande vazio que te separa de tudo, exatamente tudo, a não ser a tristeza e a solidão... essas sim são suas verdadeiras amigas que sempre estiveram com você e nunca vão te deixar! Essas sim estarão com você quando fracassar e cresceram para levá-lo com elas, e  mesmo que vença elas estarão lá também e não vão te deixar a total euforia te dominar nunca....

É preciso que alguém vença esse vazio...

Quem sabe você tenha que romper esse vazio...

Quem sabe não seja possível escapar...